Siga Marcello Reis no FOICEbook

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O islamismo e a violência contra a mulher

O islamismo é a religião fundada pelo profeta Maomé no início do século VII, na região da Arábia. O Islã é o conjunto dos povos de civilização islâmica, que professam o islamismo; em resumo, é o mundo dos seguidores dessa religião. O muçulmano é o seguidor da fé islâmica, também chamado por alguns de islamita. O termo maometano às vezes é usado para se referir ao muçulmano, mas muitos rejeitam essa expressão - afinal, a religião seria de devoção a Deus, e não ao profeta Maomé.
Em árabe, Islã significa "rendição" ou "submissão" e se refere à obrigação do muçulmano de seguir a vontade de Deus. O termo está ligado a outra palavra árabe, salam, que significa "paz" - o que reforça o caráter pacífico e tolerante da fé islâmica. O termo surgiu por obra do fundador do islamismo, o profeta Maomé, que dedicou a vida à tentativa de promover a paz em sua Arábia natal.
A base da religião muçulmana não determina qualquer tipo de discriminação grave contra a mulher. No entanto, as interpretações radicais das escrituras deram origem a casos brutais. A opressão contra a mulher é comum nos países que seguem com rigor a Sharia, a lei islâmica, e têm tradições contrárias à libertação da mulher. Assim, o problema da opressão à mulher muçulmana não é causado pela crença islâmica em si - ele surgiu em culturas que incorporaram tradições prejudiciais às mulheres. Um ótimo exemplo disso é o fato de que o uso de véus e a adoção de outros costumes que causam estranheza no Ocidente muitas vezes são mantidos por mulheres mesmo quando não há nenhuma obrigação. Ou seja: os hábitos estão integrados às culturas, não necessariamente à religião.
Na verdade, este radicalismo vai muito além do que determina a religião. No mundo muçulmano, onde para muitas mulheres nascer já é um pesadelo, em tenra idade são forçadas ao casamento, com a mesma displicência com que se negoceiam mulas e camelos. A violência já é iniciada quando ainda são crianças, o que para eles a palavra pedofilia não faz qualquer sentido. Os casamentos arranjados, com noivos entre os 20/25 anos com meninas de até 4 anos.  Isto, sem falar nos milhões de muçulmanos nigerianos e africanos em geral (que juntam à pedofilia a (mutilação genital feminina), muçulmanos indonésios e de tantos outros países do Médio Oriente, unidos pela fé e pelo prazer de “saborear” meninas virgens. O Centro Internacional Para Pesquisas Sobre Mulheres estima agora que existam 51 milhões de noivas infantis vivendo no planeta Terra e quase todas em países muçulmanos. Quase 30% destas pequenas noivas apanham regularmente e são molestadas por seus maridos no Egito; mais de 26% sofrem abuso similar na Jordânia. Todo ano, três milhões de garotas muçulmanas são submetidas a mutilações genitais, de acordo com a UNICEF. A prática ainda não foi proibida em muitos lugares da América. Então nos perguntamos, isso acontece na América? Sim, nas comunidades islâmicas, espalhadas por toda a América. Tais fatos que sucedem neste continente, são fatos isolados e efetuados em segredo, dentro das casas e mesquitas. Os governos dos países americanos fingem não ter conhecimento, para evitar confrontos.
Debaixo de um véu de religião, aparecem muitos outros casos graves de violência através de mutilações faciais e corporais. Como os casos a seguir:
- a jovem afegã, Aisha mutilada pelo marido como punição por ter fugido de casa, foi capa da revista Time, em Agosto deste ano.
-Irum Saeed, 30 anos, deixa-se fotografar no seu escritório, na Universidade de Islamabad, no Paquistão, 5ªfeira, 24 de Julho 2008. Há 12 anos. Irum foi queimada no rosto, costas e ombros, no meio da rua, por um rapaz com quem se tinha recusado casar. Irum foi submetida a 25 cirurgias plásticas para tentar remover as cicatrizes.
-Najaf Sultana, 16 anos, deixa-se fotografar em casa, em Lahore, no Paquistão, 4ªfeira, 9 Julho 2008.Aos 5 anos, enquanto dormia, foi queimada com ácido pelo próprio pai, supostamente porque não queria mais outra filha na família. Na sequência de ter sido incendiada, Najaf ficou cega e foi abandonada pelos pais, vivendo hoje com outros familiares próximos. Foi submetida a 15 cirurgias para tentar remover as cicatrizes.

Estes são apenas alguns casos, que foram revelados através da mídia e da internet. Muitas mulheres estão se organizando para combater estas atrocidades, e  como uma JIHAD contra a violência há alguns movimentos tais como o WISE (Women's Initiative em Espiritualidade e Igualdade - WISE), rede social e movimento de justiça social dos cidadãos, que visa a criação de planos de carreira para as mulheres no mundo muçulmano. Mas ainda há muito por fazer e denunciar,o caminho é penoso, longo e cheio de entraves culturais, sociais e jurídicos.
Sugiro, para aqueles que ainda não assistiram, o filme, baseado em fatos reais- NUNCA SEM MINHA FILHA- interpretado pela atriz Sally Field, no qual retrata o tema da violencia contra as mulheres, o poder paternal no islamismo, o extremismo religioso, dentre outros aspectos culturais, religiosos, morais, dentre outros.
Post. Jaqueline Leal

Fontes:
- http://www.sepoangol.org/islam.htm
-Mehnaz M. Afridi, Ph.D. (www.mehnazafridi.com) militante dos direitos das mulheres. Consultar www.wisemuslimwomen.org para mais informações sobre WISE. Artigo escrito para o Serviço de Imprensa de Common Ground (CGNews).Fonte: Common Ground News Service (CGNews), 5 de março de 2010, www.commongroundnews.org

domingo, 26 de setembro de 2010

Feedback da Manifestação da Av. Paulista dia 26.09.2010


Revoltados ON LINE Informa:

Dentro de nossa proposta (Revoltados On line) de humanizar e trazer o indivíduo mais próximo da realidade...estive presente com minha família no Manifesto organizado pela página do Facebook Manifestação pelo Ficha Limpa, na Av Paulista, marcado para (hoje) 26.09.2010 as 11:00hs enfrente ao Masp...Não houve a concentração de pessoas, porque também não houve uma devida organização....afinal não foi um evento oficial do MCCE do Ficha Limpa...a pessoa que organizou através das Redes Sociais este manifesto NÃO compareceu, sendo assim...leva-me a CRER que essa pessoa deve ser um FICHA SUJA, que tentou desmoralizar esta grande lei....Mas não conseguiu, até porque os poucos que foram conseguiram pelo menos se conhecer, divulgar e conversar com muitas pessoas que passavam pelo MASP, e mesmo com poucas pessoas, sérias e comprometidas, Contra os Fichas Sujas... obtivemos através da CORAGEM e da ATITUDE....mais um ato de conscientização


Desta forma solicito a todos os amigos virtuais e reais que antes de divulgarem alguma coisa ou alguma Manifestação chequem a VERACIDADE e IDONEIDADE da mesma...

Pessoas presentes:

Marcello Reis (Revoltados ON LINE)
Monica Rosenblatt
Umberto Palumbo
Luciano P.Santos (MCCE)
Celene Will
Ana Lúcia Jorge (Diga não ao voto obrigatório)
Marco Toledo ( Diga não ao voto obrigatório)
Silvia H. de Carvalho ( O Voto Não Deve Ser Obrigatório)
Fabiano Pereira ( O Voto Não Deve Ser Obrigatório)
Estiveram presentes outras pessoas mais infelizmente eu não consegui anotar os nomes......acredito que mais ou menos, umas 13 a 15 pessoas....
Tentarei levantar os nomes para deixar registrado aqui.....


Desta forma agradeço a todos e sugiro pensarem se vale a pena manterem em seus relacionamentos virtuais, como essa página do Facebook - Manifestação pelo Ficha Limpa que não é  a oficial do MCCE..o anonimato de moderadores deste tipo de página deve ser levando a ser contestado por vocês, amigos....Afinal o inimigo está do outro lado do Computador...e quem tiver a real identificação desta pessoa, solicito que me informe....


Cordialmente
Marcello Reis


Marcello Reis do Revoltados ON LINE de jaqueta azul
Luciano Santos de camiseta branca do MCCE
e nossa amiga da ONG 





Marcello Reis da Revoltados ON LINE
Luciano Santos do MCCE
e Nossa amiga da ONG

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Legião Urbana - A Canção do Senhor da Guerra

Grande ator Carlos Vereza, posta e comenta em seu mural do Facebook, a publicação da nota elaborada pela Revoltados ON LINE.... Time do Lula....Agradecemos ao Carlos Vereza e a todos amigos e parceiros da Comunidade Revoltados ON LINE


Carlos Vereza

                      




Carlos Vereza Benedita, foi precursora da escalada da corrupção petista, quando, logo após a posse de Lula, foi tomar café da manhã em Buenos Aires,as custas do contribuinte!

Benedita da Silva    "ano 2004"     Cargo: ministra da Secretária de Assistência e Promoção Social     Perío...
há 5 horas · Compartilhar · Indicar
Comunidade Revoltados ON LINE
  • 7 pessoas curtiram isto.
    • Duda de Assis Vereza, legal que vc esteja formando a sua rede de amigos aqui no Face, e postando tb!!!
      há 5 horas
    • Rossana Della 
      ESCOLHA DE SOFIA




      "O maior castigo para aqueles que não se interessam por
      política, é que serão governados pelos que se interessam." (Arnold
      Toynbee)

      "A escolha de Sofia" é a história que acontece no campo de concentração
      nazista de Auschwitz, vivida por uma mãe judia, que é forçada por um
      soldado alemão a escolher entre o filho e a filha - qual seria executado e
      qual seria poupado.

      Se ela se recusasse a escolher, os dois seriam mortos. Ela escolhe o
      menino, que é mais forte e tem mais chances de sobreviver, porém nunca
      mais tem notícias dele.

      A questão é tão terrível que o título se converteu em sinônimo de "decisão
      quase impossível de ser tomada".

      O artigo a seguir foi escrito no final de 2009, pelo economista
      Rodrigo Constantino - autor de 5 livros.
      · Ele assina a coluna "Eu e Investimentos", do jornal Valor
      Econômico; também é colunista do jornal O Globo; além de ser
      Membro-fundador do Instituto Millenium; e vencedor do prêmio Libertas em
      2009, no XII Forum da Liberdade.

      Seu curriculum vai muito além do que está listado acima,
      é extenso e respeitável. Segue seu artigo:

      " Serra ou Dilma? A Escolha de Sofia."
      (por Rodrigo Constantino )

      "Tudo que é preciso para o triunfo do mal
      é que as pessoas de bem nada façam." (Edmund Burke)

      Agora, praticamente é oficial: José Serra e Dilma Rousseff são as duas
      opções viáveis nas próximas eleições. Em quem votar? Esse é um artigo que
      eu não gostaria de ter que escrever, mas me sinto na obrigação de fazê-lo.

      Os antigos atenienses tinham razão ao dizerem que assumir qualquer lado é
      melhor do que não assumir nenhum?

      Mas existem momentos tão delicados e extremos, onde o que resta das
      liberdades individuais está pendurado por um fio, que talvez essa postura
      idealista e de longo prazo não seja razoável.

      Será que não valeria a pena ter fechado o nariz e eliminado o Partido dos
      Trabalhadores Nacional - Socialista, em 1933, na Alemanha, antes que
      Hitler pudesse chegar ao poder? Será que o fim de eliminar Hugo Chávez
      justificaria o meio deplorável de eleger um candidato horrível, mas menos
      louco e autoritário?
      São questões filosóficas complexas. Confesso ficar angustiado quando penso
      nisso.

      Voltando à realidade brasileira, temos um verdadeiro
      monopólio da esquerda na política nacional.
      PT e PSDB cada vez mais se parecem.
      Mas também existem algumas diferenças importantes.

      O PT tem mais ranço ideológico, mais sede pelo poder absoluto, mais
      disposição para adotar quaisquer meios, os mais abjetos, para tal meta. O
      PSDB parece ter mais limites éticos quanto a isso.

      O PT associou-se aos mais nefastos ditadores, defende abertamente
      grupos terroristas, carrega em seu âmago o DNA socialista.
      O PSDB não chega a tanto.

      Além disso, há um fator relevante de curto prazo:
      o governo Lula aparelhou a máquina estatal toda, desde os três poderes,
      passando pelo Itamaraty, STF, Polícia Federal,
      ONGs, estatais, agências reguladoras, tudo!

      O projeto de poder do PT é aquele seguido por Chávez, na Venezuela; Evo
      Morales, na Bolívia; Rafael Correa, no Equador.
      Enfim, todos os comparsas do Foro de São Paulo. Se o avanço rumo ao
      socialismo não foi maior no Brasil, isso se deve aos freios
      institucionais, mais sólidos aqui, e não ao desejo do próprio governo. A
      simbiose entre Estado e governo na gestão Lula foi enorme.
      O estrago será duradouro.
      Mas quanto antes for abortado, melhor será: haverá menos sofrimento no
      processo de ajuste.

      Justamente por isso acredito que os liberais devem olhar para este aspecto
      fundamental, e ignorar um pouco as semelhanças entre Serra e Dilma. Uma
      continuação da gestão petista através de Dilma, é um tiro certo rumo ao
      pior.

      Dilma é tão autoritária ou mais que Serra,
      com o agravante de ter sido uma terrorista na juventude comunista, lutando
      não contra a ditadura, mas sim por outra ainda pior, aquela existente em
      Cuba ainda hoje.

      Ela nunca se arrependeu de seu passado vergonhoso; pelo contrário, sente
      orgulho. Seu grupo Colina planejou diversos assaltos.

      Como anular o voto sabendo que esta senhora poderá ser nossa próxima
      presidente?!

      Como virar a cara
      sabendo que isso pode significar passos mais acelerados em direção ao
      socialismo bolivariano?

      Entendo que para os defensores da liberdade individual, escolher entre
      Dilma e Serra é como uma escolha de Sofia. Mas anular o voto, desta vez,
      pode significar o triunfo definitivo do mal. Em vez de soco na cara ou no
      estômago, podemos acabar com um tiro na nuca.

      Dito isso, assumo que votarei em Serra.
      Meu voto é anti-PT acima de qualquer coisa.
      Meu voto é contra o Lula, contra o Chávez, que já declarou abertamente
      apoio à Dilma.
      Meu voto não é a favor de Serra.

      No dia seguinte da eleição, já serei um crítico tão duro do governo Serra,
      como sou hoje do governo Lula. Mas, antes é preciso retirar a corja que
      está no poder. Antes é preciso desarmar a quadrilha que tomou conta de
      Brasília.

      Só o desaparelhamento de petistas do Estado já seria um ganho para a
      liberdade, ainda que momentâneo.

      Respeito meus colegas liberais, que discordam de mim e pretendem anular o
      voto.
      Mas espero ter sido convicente de que o momento pede um pacto temporário
      com a barbárie, como única chance de salvar o que resta da civilização - o
      que não é muito, mas é o que hoje devemos e podemos fazer!
      há 3 horas
    • Anna Sharp Meu Deus! Quando vamos parar de colocar bandidos no poder? Quando vamos amadurecer, acordar dessa hipnose letárgica e assumir o poder sobre nossas vidas??????
      há 2 horas ·  2 pessoas
    • Lisa Marie O pior foi a postagem deste vídeo ao Sr Marcos Lula, filho do presidente onde ele comentou debochadamente no link que ja havia feito a denúncia. Mas quando questionado porque o pai dele tem verdadeira admiração por ditadores aos quais ele próprio os define como trevas, Marcos Lula calou-se. Nao se pode mudar o imutável. Bom dia.
      há 34 minutos

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Time do Lula..9 ministros..O Lula preencheu muito bem todos os seus Dedos..Com mais 2 Ex: Presidentes de Tira Colo.. E MAIS 3 CHEFES DE TORCIDA...Meus Deus

Benedita da Silva "ano 2004"
Cargo: ministra da Secretária de Assistência e Promoção Social
Período: 1º de janeiro de 2003 a 21 de janeiro de 2004
Motivo: deixou o Governo após denuncias de ter utilizado dinheiro público para se hospedar em Hotel de luxo na Argentina.....

Benedita da Silva    "ano 2004"
Cargo: ministra da Secretária de Assistência e Promoção Social
Período: 1º de janeiro de 2003 a 21 de janeiro de 2004
Motivo: deixou o Governo após denuncias de ter utilizado dinheiro público para se hospedar em Hotel de luxo na Argentina......
Ministra da Secretaria de Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva foi atingida por denúncias de mau uso de dinheiro público logo no primeiro ano de governo petista, ao pagar com recursos da União a hospedagem em um hotel de luxo na Argentina. À época, Benedita justificou a despesa afirmando que teria viajado ao país vizinho para participar de um café da manhã com evangélicos e resolvera esticar a agenda em um encontro oficial. Pressionada pelos fatos publicados pela imprensa, devolveu o dinheiro gasto na viagem e acabou demitida em 21 de janeiro de 2004.
Benedita sempre negou irregularidades. Na época, a ex-ministra alegou que os gastos realizados na Argentina foram realizados durante reuniões de trabalho.




José Dirceu "ano 2005"
Cargo ministro chefe da Casa Civil
Período: 1º de janeiro de 2003 a 16 de julho de 2005
Motivo: deixou o Governo após denúncias de envolvimento no suposto esquema do mensalão no governo federal

José Dirceu "ano 2005"
Cargo ministro chefe da Casa Civil
Período: 1º de janeiro de 2003 a 16 de julho de 2005
Motivo: deixou o Governo após denúncias de envolvimento no suposto esquema do mensalão no governo federal
Primeiro integrante do governo Lula a ocupar a Casa Civil, José Dirceu emergiu das eleições de 2002 como o braço direito do presidente Lula e um dos responsáveis pelos 53 milhões de votos obtidos pelo petista no segundo turno das eleições contra o hoje candidato José Serra (PSDB). Ele se demitiu em 16 de junho de 2005, no auge do escândalo do mensalão, pressionado por declarações do delator do esquema, o então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), de que a sua permanência na Casa Civil poderia respingar no presidente Lula. O mensalão foi o escândalo da suposta compra de apoio de parlamentares no Congresso, que atingiu diretamente Dirceu, o principal responsável pelas alianças do governo petista com os partidos.
Sempre negou envolvimento com as denúncias. Deixou o cargo e voltou à Câmara dizendo que lá poderia esclarecer os fatos, mas acabou tendo o mandato cassado e os direitos políticos suspensos por oito anos. Segundo o ex-ministro, todas as denúncias foram infundadas.





Romero Jucá " ano 2005"
Cargo: ministro da Previdência
Período: 22 de março de 2005 a 21 de julho de 2005
Motivo: deixou o governo após denuncias de irregularidades na captação de empréstimo junto ao Banco da Amazônia

Romero Jucá " ano 2005" 
Cargo: ministro da Previdência
Período: 22 de março de 2005 a 21 de julho de 2005
Motivo: deixou o governo após denuncias de irregularidades na captação de empréstimo junto ao Banco da Amazônia
Terceiro a pedir demissão na Esplanada, o hoje líder do governo no Senado, senador Roméro Jucá (PMDB-RR), era ministro da Previdência quando acabou envolvido em supostas irregularidades na aplicação de recursos emprestados pelo Banco da Amazônia. Como garantia para um empréstimo obtido junto ao banco, uma empresa de Jucá teria apresentado papéis que indicariam propriedade de fazendas fantasmas. Diante da repercussão do caso, Jucá acabou deixando a pasta em 21 de julho de 2005, apenas 122 dias após tomar posse, em 22 de março do mesmo ano.
O senador negou ter intermediado negociações. Na época em que as denúncias surgiram, seu advogado disse que as acusações tinham cunho eleitoral. Também disse que, ao contrário de ser beneficiário, Jucá foi avalista do empréstimo, colocando bens em garantia para o banco.



Antonio Palocci "ano 2006"
Cargo: ministro da Fazenda
Período: 1º de janeiro de 2003 a 27 de março de 2008
Motivo: deixou o governo após denúnicas de envolvimento na quebra de sigilio bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa

Antonio Palocci "ano 2006"
Cargo: ministro da Fazenda
Período: 1º de janeiro de 2003 a 27 de março de 2008
Motivo: deixou o governo após denúnicas de envolvimento na quebra de sigilio bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa
Homem forte no primeiro governo do presidente Lula, o hoje deputado federal Antônio Palocci (PT-SP) permaneceu no comando do Ministério da Fazenda até 27 de março de 2006, quando pediu demissão diante das denúncias publicadas pela imprensa sobre sua suposta participação na quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa na Caixa Econômica Federal. “Nildo”, como é conhecido o caseiro, afirmou ter visto Palocci em festas em uma mansão no Lago Sul de Brasília. Palocci respondeu a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) e teve o processo arquivado no ano passado. O caseiro ganhou na Justiça uma indenização de R$ 500 mil da Caixa em razão da violação de sigilo – a instituição anunciou que irá recorrer.
Disse que ocorreu ‘movimento sistemático para lançar dúvidas e suspeitas’ sobre ele e garantiu que não teve participação no caso. Neste ano, o STF rejeitou denúncia contra ele.



Luiz Gushiken "ano 2006"
Cargo: ministro da Secretaria de Comunicação
Período: 1º de janeiro de 2003 a 13 de novembro de 2006
Motivo: deixou o governo após denúncias de supostas interferências em fundos de pensão e suspeitas de envolvimento no mensalão federal

Luiz Gushiken "ano 2006"
Cargo: ministro da Secretaria de Comunicação
Período: 1º de janeiro de 2003 a 13 de novembro de 2006
Motivo: deixou o governo após denúncias de supostas interferências em fundos de pensão e suspeitas de envolvimento no mensalão federal
Supostas interferências em fundos de pensão e suspeitas de envolvimento no escândalo do mensalão apuradas pela CPI dos Correios também fizeram Luiz Gushiken, então ministro da Secretaria de Comunicação do governo, a deixar o cargo no dia 13 de novembro de 2006. Gushiken já havia sido removido do comando da pasta e atuava no Núcleo de Assuntos Estratégicos do governo. Ele entregou sua carta de exoneração depois de ter sido alvo de investigação no Tribunal de Contas da União (TCU).
O ex-ministro afirmou que se afastou da pasta para evitar prejuízos ao governo, mas negou envolvimento em irregularidades.




Silas Rondeau "ano 2007"
Cargo: ministro de Minas e Energia
Período: 8 de junho de 2005 a 22 de maio de 2007Motivo: deixou o governo após denúncias de envolvimento com empresa acusada de fraudes e desvios de recursos de obras públicas


Silas Rondeau "ano 2007"
Cargo: ministro de Minas e Energia
Período: 8 de junho de 2005 a 22 de maio de 2007Motivo: deixou o governo após denúncias de envolvimento com empresa acusada de fraudes e desvios de recursos de obras públicas 
Em 2007, escândalos de corrupção chegaram até o Ministério de Minas e Energia, atingindo o então ministro Silas Rondeau. Apontado pela Polícia Federal como suspeito de ter recebido R$ 100 mil da Construtora Gautama, acusada de fraudes e desvios em obras públicas, Rondeau entregou o cargo no dia 22 de maio de 2007.
Rondeau sempre negou ter recebido propina. ‘Reafirmo minha completa e absoluta inocência’, escreveu em sua carta de demissão.



Walfrido Mares Guia " ano 2007"
Cargo: ministro das Relações Institucionais
Período: 22 de março de 2007 a 22 de novembro de 2007
Motivo: deixou o governo após denúncias de envolvimento no escândalo do suposto mensalão mineiro

Walfrido Mares Guia " ano 2007"
Cargo: ministro das Relações Institucionais
Período: 22 de março de 2007 a 22 de novembro de 2007
Motivo: deixou o governo após denúncias de envolvimento no escândalo do suposto mensalão mineiro
Seis meses depois da saída de Rondeau, em 22 de novembro de 2007, o ministro de Relações Institucionais, Walfrido Mares Guia -- que também já havia ocupado a pasta do Turismo --, entregou ao presidente Lula sua carta de demissão, acossado por denúncias de envolvimento no escândalo do suposto mensalão mineiro. O esquema, segundo o procurador-geral da República à época, Antonio Fernando de Souza, foi o embrião do mensalão de 2005 no governo federal.
Afirmou que se afastou para evitar prejuízos ao governo, mas negou envolvimento em irregularidades. Ele classificou as acusações imputadas pelo então procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, de injustas e improcedentes e que isso ficaria provado no curso do processo.


Matilde Ribeiro "ano 2008"
Cargo: ministra da Igualdade RacialPeríodo: 21 de março de 2003 a 1º de fevereiro de 2008Motivo: deixou o governo após a divulgação de gastos com o cartão corporativo do governo

Matilde Ribeiro "ano 2008"
Cargo: ministra da Igualdade RacialPeríodo: 21 de março de 2003 a 1º de fevereiro de 2008
Motivo: deixou o governo após a divulgação de gastos com o cartão corporativo do governo 
Até a queda de Erenice do cargo nesta quinta, a então ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, permanecia como a última a ter deixado o governo em decorrência de denúncias. Ministra de Lula desde março de 2003, Matilde não resistiu à divulgação dos seus gastos com o cartão corporativo do governo, motivando até a abertura de uma CPI mista no Congresso. Em 2007, Matilde gastou mais de R$ 171 mil com o seu cartão, dos quais R$ 120 mil só com aluguéis de veículos. A justificativa da ministra é que teve de viajar mais para intensificar relações com novos governos. Ela deixou o cargo no dia 1 de fevereiro de 2008.
Disse que foi induzida ao erro ao usar cartão corporativo. Afirmou que foi orientada a usar o cartão para despesas com hospedagem, alimentação e locação de veículos.



Erenice Guerra "ano 2010"
Cargo: ministra chefe da Casa CivilPeríodo: 31 de março de 2010 a 16 de setembro de 2010
Motivo: deixou o governo após denúncias de suposto tráfico de influência no Planalto

Erenice Guerra "ano 2010"
Cargo: ministra chefe da Casa CivilPeríodo: 31 de março de 2010 a 16 de setembro de 2010
Motivo: deixou o governo após denúncias de suposto tráfico de influência no Planalto 
Com a demissão da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, na última quinta-feira (16), devido a denúncias de suposto tráfico de influência no Planalto, são nove os ministros que deixaram a Esplanada dos Ministérios em razão de denúncias nos quase oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva 



ALIADOS DO GOVERNO ATUAL

A nomeação de um dos pivôs do esquema de corrupção no governo do Amapá foi acertada pelo presidente do Senado, José Sarney, em seu gabinete

José Sarney de Araújo Costa (Pinheiro, 24 de abril de 1930) é um político e escritor brasileiro, tendo sido o 31º Presidente do Brasil, de 1985 a 1990, Presidente do Senado Federal de 1995 a 1997, 2003 a 2005 e 2009 até a atualidade, e Governador do estado do Maranhão de 1966 a 1971.
A nomeação de um dos pivôs do esquema de corrupção no governo do Amapá foi acertada pelo presidente do Senado, José Sarney, em seu gabinete. Depoimento prestado à Polícia Federal no dia 26 de novembro do ano passado mostra que a escolha de Aldo Alves Ferreira para a Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Estado teria tido interferência direta de Sarney.

 
Presidente Fernando Collor de Melo. Acusado de corrupção e esquemas ilegais em seu governo, a campanha “Fora Collor” mobilizou muitos estudantes que saíram às ruas com as caras pintadas para protestar contra o corrupto presidente.

Fernando Affonso Collor de Mello (Rio de Janeiro, 12 de agosto de 1949) é um político,empresário e escritor brasileiro, tendo sido o 32º Presidente do Brasil, de 1990 a 1992,prefeito de Maceió de 1979 a 1982, Deputado federal de 1982 a 1986, Governador de Alagoas de 1987 a 1989, e Senador por Alagoas de 2007 até a atualidade.
Após muitos anos de ditadura militar e eleições indiretas para presidente, uma campanha popular tomou as ruas para pedir o afastamento do cargo do presidente Fernando Collor de Melo. Acusado de corrupção e esquemas ilegais em seu governo, a campanha “Fora Collor”  mobilizou muitos estudantes que saíram às ruas com as caras pintadas para protestar contra o corrupto presidente. caras-pintadas, em referência às pinturas dos rostos que, capitaneados pelaUnião Nacional dos Estudantes exigiam o impeachment do presidente numa cabala resumida no slogan "Fora Collor!" repetida à exaustão em passeatas por todo o país a partir de 16 de agosto de 1992.  


Técnico do TIME....Bela formação essa..

Luiz Inácio Lula da Silva(Garanhuns, 27 de outubro de 1945), mais conhecido como Lula, é um político e ex-sindicalista brasileiro. Ele é o trigésimo quinto e atual presidente da República Federativa do Brasil, cargo que exerce desde o dia 1º de janeiro de 2003.

TIME DO LULA REALMENTE É DE DAR INVEJA A MUITO CORRUPTO ESPALHADO NESTE PAÍS....AGORA APROVEITEM E TRAGAM TODOS DE VOLTA PARA MAIS 4 ANOS COM A DILMA.....MEUS DEUS E O FIM DOS TEMPOS.....

Auxiliar Técnica..massagista... Terrorista e Fantoche....

Dilma Vana Rousseff (Belo Horizonte, 14 de dezembro de 1947) é uma economistae política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT). Foi ministra-chefe da Casa Civil durante o Governo Lula, e é a candidata do partido à Presidência da República, em2010.
Nascida em família de classe média alta, interessou-se pelos ideais socialistas durante a juventude, logo após o Golpe Militar de 1964. Iniciando na militância, passou para a luta armada contra o regime militar, integrando organizações como o Comando de Libertação Nacional (COLINA) e a Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR Palmares).

Para Fechar os 13....Vem o Povo Brasileiro.....onde realmente somos os Palhaços que pagamos as Contas dos Corruptos...dos Ex:...do Técnico e da sua Auxiliar.....é por isso que estudar e trabalhar neste País não vale a PENA......


Torcida do TIME ACIMA


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

EDUCAÇÃO-NÃO FAZ SENTIDO O RUMO QUE AS COISAS ESTÃO TOMANDO...


A juventude está apática, contenta-se com o que tem e segue a lei do Gerson "você também gosta de levar vantagem em tudo, certo? " A maioria só pensa em internet, baladas, drogas, roupas de marcas, celulares cada vez mais sofisticados, sexo livre e rock e que eles estão totalmente alheios a realidade que os rodeiam.
Entretanto, ainda há alguns jovens, que se preocupam com aspectos essenciais na sociedade, tais como: educação, saúde e segurança.
Quando o jovem fala destes assuntos, da sua maneira digamos “original” de expressar-se, toca numa questão que considero fundamental: a educação.
Um dia destes estava assistindo a TV Senado ( que ninguém nunca assiste, mas que deveria) um programa sobre a educação, no qual os participantes eram especialistas e ouvi estupefacta, um parlamentar dizer que os recursos destinados à educação ou eram mal empregados ou eram desviados. No caso não é uma ou outra coisa, são as duas juntas, são desviados e mal empregados.
Como educadora já tive a oportunidade de observar como os recursos são gastos quando chegam a escola. Primeiramente, para estes recursos chegarem à escola, é necessário que haja um longo planejamento do Conselho Escolar, para justificar onde será gasto o dinheiro e mesmo assim a escola não tem autonomia para gastar a pouca verba que lhe é destinada com as próprias necessidades. Tudo o que se vai adquirir, tem que estar inserido numa listagem permitida pelas Secretarias de Educação. Estes recursos quando chegam à escola, chegam já no decorrer do ano letivo e a escola muitas vezes tem que organizar campanhas para poder manter-se aberta.
Falar de autonomia na Escola é apenas uma manobra política eleitoreira. Quando o processo escolar não atinge o patamar adequado, ou seja há um elevado índice de reprovação, a escola é que tem de usar “certos” recursos para facilitar a promoção dos alunos e evitar a repetência e a evasão. Isso para garantir boa imagem nas estatísticas nacionais e internacionais, porque se estas estatísticas ficarem aquém, as verbas podem ser cortadas e o governo não receberá recursos para investir na educação.
No âmbito escolar há alguns instrumentos para manter o aluno dentro da escola, um deles é a parceira entre a instituição de ensino e Juizado da Infância e Adolescência,  através do Conselho Tutelar, que controla e fiscaliza se os alunos estão frequentando as aulas e aproveitamento adequado, interfere em casos de violência e promovem debates e palestras sobre a importância da atuação e presença dos pais. O ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente deixa bem claro, na maioria dos seus artigos que a educação da criança e do adolescente é responsabilidade os pais ou responsáveis e do Estado.
O outro instrumento inventado pelo Estado é o Bolsa-Escola/ Família ( que todos conhecem) esta é uma forma de pagar aos pais pela permanência dos filhos na escola. Por um lado é uma boa saída para as famílias realmente carentes, mas por outro lado, há  dois fatores que contribuem para que seja mal distribuído e mal fiscalizado. Um dos fatores é o fato das famílias que recebem este benefício, se acomodam e não procuram buscar pelas próprias mãos os meios para garantir a sua subsistência, outro é que o recurso é distribuído através de um cadastro feito pelas prefeituras, o qual muitas vezes, por “compadrios” beneficiam famílias que não necessitam deste recurso.
Na verdade, é essencial uma reestruturação profunda na educação, nos programas de ensino e na distribuição legal e real dos recursos, para que atendam as necessidades básicas de cada escola.
A reestruturação da escola deve começar no seio da comunidade, com programas que atendem um paradigma nacional, mas que dêem prioridade às efetivas necessidades da comunidade. É um processo demorado, lento e difícil. Na elaboração destes programas é extremamente necessário identificar e levar em conta o aspecto social, psicológio, cultural e económico da região, desenvolver parcerias e construir um modelo baseado na ética, nos valores morais e no conceito de cidadania. Com um projeto desta envergadura em que haja prioridade dos aspectos identificados acima, principalmente em cidades pequenas, é possível manter as pessoas em sua própria comunidade, na tentativa de extinção do êxodo.
Neste caso especificamente, o modelo de ensino deve centrar-se na alfabetização de crianças, jovens e principalmente adultos. Segundo o INEP- Instituto Educacional de Estudo e Pesquisas Anísio Teixeira,  o  Brasil possui cerca de 16 milhões de analfabetos com 15 anos ou mais 30 milhões de analfabetos funcionais, conceito que define as pessoas com menos de 4 anos de estudo. Além de apresentar e analisar estes dados gerais, o estudo detalha a situação do analfabetismo, apresentando informações por faixa etária, género, raça, localização ( rural e urbana) e renda domicilar.
Ora, se anos após anos vemos os arautos políticos anunciarem em alto e bom som, que estão investindo “zilhões” na educação, aparelhando as escolas com novas tecnologias, capacitando professores, distribuindo gratuitamente os livros escolares ( que se e quando chegam já estão no meio do ano letivo e não suprem as necessidades), como este alto índice de analfabetos se justifica?
Voltamos ao ponto inicial, as verbas estão realmente sendo mal empregadas e desviadas .

Post Jaqueline Leal
Professora Licenciada em Letras e Ex- diretora de Colégio Estadual.

Fontes: