Siga Marcello Reis no FOICEbook

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Alckmin nomeia FICHA SUJA para FDE - O mal lavado não tem moral, para falar do sujo!!!

O MAL LAVADO NÃO TEM MORAL PARA FALAR DO SUJO!!!!
É ESSE TIPO DE OPOSIÇÃO QUE NÓS TEMOS? Só troca o P.

Alckmin nomeia para fundação tucano condenado por improbidade
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nomeou para chefiar a FDE (Fundação para Desenvolvimento da Educação), ligada à Secretaria de Educação, o tucano José Bernardo Ortiz, condenado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) por improbidade administrativa.
Ex-prefeito de Taubaté (120 km da capital) --sua última gestão terminou em 2004--, Ortiz é um dos expoentes da chamada "república do Vale do Paraíba".
A decisão judicial por improbidade refere-se a nomeações em cascata, sem concurso público, para ocupar cargos na administração de Taubaté.
Derrotado em primeira e segunda instância, o tucano recorreu ao STJ, que manteve a condenação no ano passado.
Ele aguarda decisão final do STF (Supremo Tribunal Federal) --a relatora é a ministra Cármen Lúcia.
De acordo com a decisão do STJ, Ortiz não pode concorrer a cargos públicos por cinco anos, foi multado em 20 vezes o valor do seu salário à época --algo como R$ 210 mil-- e obrigado a deixar cargo público --o último que exerceu foi a Secretaria de Urbanismo de Caraguatatuba (litoral paulista).
Na FDE, ele controlará orçamento de R$ 3,5 bilhões e licitações previstas para reforma de escolas na rede estadual e compra de produtos e equipamentos para alunos e professores.
Nos bastidores, tucanos afirmam que é também certa a nomeação do seu filho, Bernardo Ortiz Júnior (PSDB), derrotado na eleição para deputado estadual, como assessor do Palácio dos Bandeirantes.


QUE VERGONHA Alckmin!!!

Aliado de Alckmin toma posse e ataca promotoria 

Condenado judicialmente por ato de improbidade administrativa, o engenheiro José Bernardo Ortiz tomou posse na presidência da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) - orçamento de R$ 3,5 bilhões para 2011 - e declarou que o Ministério Público "é regido por pessoas que não entendem nada de administração pública".

Fustigado pela promotoria, que o colocou no banco dos réus, Ortiz responde a dez ações judiciais, oito delas por atos que teriam violado a Lei 8429/92 - que pune administradores públicos por transgressão aos princípios do artigo 37 da Constituição, moralidade, impessoalidade e economicidade. Em uma ação ele já foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Estado à suspensão dos direitos políticos por 5 anos.



Assinado: Marcello Reis

Um comentário:

Por justiça!!!Gladiwa disse...

Com a devida licença sou moradora da cidade de Taubaté, e conheço a administração Ortiz! Se não houvessem as nomeações de médicos e dentistas, haveriam mortes por falta de atendimento...antes de manifestarem suas opiniões procurem saber, para que sejam denominados revoltados on line e não ignorantes on line