Siga Marcello Reis no FOICEbook

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Ministério Público Federal entra na Justiça contra Lula - Será que vamos ter Justiça neste País?

Procuradoria entra com ação contra Lula por improbidade

O que mais chama a atenção é como o Lula não sabia disso....rsrsrs...
EU NÃO VI NADA, EU NÃO SEI DE NADA, EU NÃO ASSINEI NADA !!!! 
 LEMA DO LULA?
Lula pode perder direitos políticos por até 10 anos por favorecer banco do Mensalão.
SERÁ QUE VAMOS TER JUSTIÇA NESTE PAÍS? 
EU ESPERO...


PTralhas



O Ministério Público Federal no Distrito Federal entrou na Justiça contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro da Previdência Social Amir Francisco Lando por improbidade administrativa.
Eles são acusados de utilizar a máquina pública para realizar promoção pessoal e favorecer o Banco BMG, envolvido no esquema do mensalão.

Segundo a Procuradoria, as irregularidades teriam aconteceram entre outubro e dezembro de 2004. Na ocasião, mais de 10,6 milhões de cartas de conteúdo propagandístico teriam sido enviadas aos segurados do INSS com dinheiro público.

As cartas informavam, conforme o Ministério Público, sobre a possibilidade de obtenção de empréstimos consignados com taxas de juros reduzidas.
A manobra teria custado cerca de R$ 9,5 milhões aos cofres públicos, gastos com impressão e postagem das cartas.

De acordo com a Procuradoria, não havia interesse público no envio das informações e a assinatura das correspondências diretamente pelo então presidente da República e pelo ex-ministro da Previdência foi realizada para promover as autoridades.
Outra irregularidade apontada pelo Ministério Público foi o favorecimento do Banco BMG, única instituição particular apta a operar a nova modalidade de empréstimo naquela época. Segundo a ação, chamou atenção a rapidez no processo de convênio entre o BMG e o INSS --durou apenas duas semanas, quando o comum é cerca de dois meses.

"Diante do apurado, podemos concluir facilmente que a finalidade pretendida com o envio das correspondências era, primeiramente, promover as autoridades que assinavam a carta, enaltecendo seus efeitos e, consequentemente, realizando propaganda em evidente afronta ao art. 37, 1º da CF e, ao mesmo tempo, favorecer o Banco BMG, única instituição particular apta a operar a nova modalidade de empréstimo", afirma o Ministério Público.
Para garantir a devolução dos valores gastos, a Procuradoria pede o bloqueio de bens dos acusados.

A assessoria de Lula informou que soube da ação por nossa reportagem e que iria acionar a defesa do ex-presidente para tratar do assunto.
fonte: Folha Poder

Lula o Papai da MENTIRA 

Não ao PT



Amir Francisco Lando

Amir Lando (Piratuba, 25 de abril de 1944) é um político brasileiro com base em Rondônia.
Em 1982, foi eleito deputado estadual. Em 1986, foi eleito suplente do senador Olavo Pires. Assumiu a vaga de senador em 1990, quando o titular Olavo Pires faleceu. Em 1992, foi escolhido relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou o escândalo de corrupção envolvendo o então presidente Fernando Collor de Mello e seu tesoureiro da campanha eleitoral, Paulo César Farias, também conhecido como "P.C. Farias". Esta CPI ficou conhecida como "CPI do P.C.", e resultou no pedido de impeachment do presidente Collor.
Em 1994, candidatou-se ao senado, ficando em terceiro lugar. Em 1998, foi eleito senador pelo PMDB. Em 2005, em meio à suspeita de compra sistemática de votos que ficou conhecida como Escândalo do Mensalão, acabou sendo escolhido para presidir a CPMI do Mensalão e da Compra de Votos, que deveria investigar quais parlamentares receberam o dinheiro do esquema e – também – a suposta compra de votos para aprovação da emenda constitucional da reeleição. No entanto, esta CPMI acabou encerrada sem a aprovação de um relatório final.
Em 2006, Amir Lando foi relator da CPMI das Sanguessugas, que investigou o envolvimento de parlamentares com a Máfia das Ambulâncias. No mesmo ano concorreu ao governo de Rondônia. Ficou em quarto lugar com 44.155 votos.


Assinado
Marcello Reis
Fundador Revoltados ON LINE

Nenhum comentário: