Siga Marcello Reis no FOICEbook

terça-feira, 15 de março de 2011

2010 o ano dos Patrocínios, mais de R$ 1,1 Bilhão. Depois dizem que compra de voto é utopia. Vai nessa !!!

Patrocínios ultrapassam R$ 1,1 bilhão em 2010; maior valor da gestão Lula
Amanda Costa
Do Contas Abertas

O governo federal investiu mais de R$ 1,1 bilhão em patrocínio no ano passado, maior valor aplicado durante a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foi também em ano de eleições presidenciais o segundo maior valor executado na era Lula. Em 2006, quando o ex-presidente reelegeu-se, foram autorizados para patrocínios quase R$ 1,1 bilhão. Considerando os oito anos da gestão anterior, foram R$ 7,1 bilhões liberados, em valores corrigidos pelo IPCA.


O levantamento foi divulgado ontem à noite pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) e diz respeito aos patrocínios aprovados de todos os órgãos e entidades do Poder Executivo, inclusive das empresas estatais Veja a tabela



Em volume de recursos, a área de cultura foi a maior beneficiada, com R$ 430,4 milhões. A Secom atribui o destaque conferido ao setor cultural à parceria entre Banco do Nordeste (BNB) e o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), que colocaram em prática um programa conjunto de fomento à cultura na região Nordeste. Com a união, o Programa BNB de Cultura duplicou o orçamento e patrocinou 873 projetos beneficiando diretamente 437 municípios, disseminando, assim, a marca do BNDES.
Além disso, a Petrobras, empresa que mais investe em cultura segundo a Secom, manteve a estratégia “caravana”, cujo objetivo é levar às associações culturais e a potenciais proponentes informações e orientações sobre como participar de editais.
Em segundo lugar, o setor esportivo recebeu R$ 297,6 milhões em patrocínios para diversas modalidades praticadas no ar, na água e na terra, como paraquedismo, ultraleve, canoagem, iatismo, natação, surf, fórmula 1, rally, corrida, ciclismo, futebol, capoeira, rodeio, jogos indígenas, basquete, boliche, ginástica olímpica, tênis, vôlei, xadrez, entre outros. Um crescimento tímido de 5% ante a verba aplicada em 2009, quando os patrocínios aprovados chegaram a R$ 198,2 milhões.
Para a área ambiental, foram autorizados R$ 107,4 milhões em patrocínio. Eventos sociais receberam R$ 190,9 milhões. Já os demais eventos foram agraciados com R$ 130,5 milhões.
O Sudeste permaneceu no topo da lista no que diz respeito ao volume de recursos repassados à área de patrocínio. Foram 521,4 milhões dirigidos à região para ser aplicados em fóruns, seminários, congressos, feiras e exposições. Segundo a Secom, o volume maior se justifica por conta da “sua importância mercadológica” e pelo fato de ser a região a abrigar a maior parte dos eventos promocionais.

Outros projetos patrocinados pelo governo foram destinados às regiões Centro-Oeste (R$ 116,5 milhões), Nordeste (R$ 204,9 milhões), Norte (R$ 47,6 milhões) e Sul (R$ 120,9 milhões). As iniciativas que abrangeram mais de uma região, ou seja, que foram realizadas em conjunto, somaram, no ano passado, R$ 35,1 milhões. Já os projetos realizados no exterior representaram R$ 20,2 milhões.

Patrocínio
Se por um lado no intervalo de oito anos os valores destinados a patrocínio tiveram acréscimo considerável, o mesmo não ocorreu no número de projetos patrocinados. Em órbita crescente até 2007, a quantidade foi reduzida em 2.042 entre 2007 e 2008 e em menos 2.854 entre 2008 e 2009. No ano passado, foram menos 469 projetos patrocinados na comparação com o ano anterior. A Secom atribui a queda à Instrução Normativa 01, publicada em 2009, que dispensou as empresas de encaminhar à Secretaria de Comunicação planilhas de valor inferior a R$ 10 mil.

A instrução disciplina e orienta os órgãos na concessão de patrocínios. As diretrizes, segundo a Secom, pautaram-se na democratização com igualdade de oportunidade nos projetos aprovados, na regionalização, ou seja, na descentralização dos recursos, na transparência, com a adoção de critérios e mecanismos de seleção pública para escolha de projetos e, também, na troca de experiências e de melhores práticas.
A maioria das empresas estatais tem adotado processos de seleção pública para escolha dos projetos de patrocínio. Em 2003, apenas duas empresas utilizavam editais como forma de seleção. Atualmente, mais de 15 editais são publicados por ano.

Postagem.
Marcello Reis
Fundador Revoltados ON LINE




Nenhum comentário: