Siga Marcello Reis no FOICEbook

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

CARAS PINTADAS DA CORRUPÇÃO ATIVA - Senador Lindberg Farias do PT

O outrora "Cara PinTada" Lindenberg Farias, foi deveras carinhoso com o aliado PeTralha, Collor de Melo! Claro q aquelas passeatas, serviram apenas para alguns comunistas se embebedarem e curtirem com a cara dos TROUXAS...
A maior demonstração de q são todos farinha do mesmo saco, e merda do mesmo buraco 


vc só encontra aqui, pq a mídia mesmo não mostra os laços afetivos destes Honoráveis Bandidos.


Por: Bruno Toscano






























Denúncias e acusações

Ao longo de seu mandato foi denunciado por fraudes e uso de propinas e acusado pelo Ministério Público de superfaturamento em licitações, além das denúncias de "mensalinho" na Câmara de Nova Iguaçu.

Em 2008, sua ex-secretária, Lídia Cristina Esteves, declara que era obrigada a permitir que toda a folha de pessoal da prefeitura fosse rodada na Paraíba, sob o comando de Frederico Farias, irmão de Lindberg.

Tais denúncias fizeram com que Lindberg se tornasse o prefeito mais processado da história do município.

Em maio de 2010, sua prefeitura foi acusada de ter contratado sem licitação em março de 2005 a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec). Em liminar, Lindberg teve seus bens bloqueados pela 3a Vara Cível de Nova Iguaçu a pedido do Ministério Público em 2010.

Assinado
Marcello Reis

DEPUTADO JOÃO LYRA (PTB-AL) o MILIONÁRIO vulgo EL MATADOR !!!

João José Pereira de Lyra (Recife, 17 de junho de 1931)

VULGO

JOÃO LYRA  -  EL MATADOR  -

PAI DE TEREZA COLLOR 


É o parlamentar com maior patrimônio declarado e vem do estado com pior índices de desenvolvimento humano (IDH) e uma das menores rendas per capita do país, Alagoas. 
De volta à Câmara após quatro anos, o deputado João Lyra (PTB-AL) tem uma fortuna declarada de R$ 240,39 Milhões.


João Lyra não escapou de ter o nome envolvido com escândalos. 
Já foi acusado de ser o mandante do assassinato de Sílvio Carlos Luna Viana, funcionário da Secretaria da Fazenda de Alagoas. 
Viana foi assassinado com um tiro no crânio e seis no tórax quatro dias após entregar notificação de débitos em uma usina de Lyra, a Laginha.
Acusado de ter dado os tiros que matou o funcionário público, um ex-policial atribuiu o mando do crime a João Lyra e disse que recebeu R$ 48 mil pelo assassinato. Não seria o primeiro crime cometido pelo empresário, segundo as acusações do mesmo ex-policial. Ele afirmou que o deputado teria assassinado um sargento que seria amante de sua ex-esposa, no início da década de 90.



Assinado
Marcello Reis